A Exposição (a)Riscar o Património em S. Brás de Alportel entre 2 e 29 de Maio

expoalportel

Entre 2 e 29 de Maio de 2019, vai estar patente na Galeria Municipal de São Brás de Alportel, a exposição (a)Riscar o Património Heritage Sketching.

Esta mostra reflecte o interesse que aquela edilidade demonstrou, em dar a conhecer nos seus espaços, o projecto (a)Riscar o Património e os seus objectivos. Será constituída por uma selecção de trabalhos de vários desenhadores, que participaram nos encontros anuais que acontecem em Setembro, por todo o país – continente e ilhas – desde 2014.

“Comunicar património é, sobretudo, dar a conhecer, informar, e transmitir essa dupla qualidade de relevância e de proximidade; não é uma tarefa fácil: a vertiginosa evolução dos meios de comunicação, a multiplicidade de plataformas disponíveis, os novos modos de consumo e de percepção da realidade facilitadas, particularmente, pelas redes sociais e pela Internet traduzem uma certa assimetria entre uma cultura eminentemente visual, imediata e de fácil acesso e a forma como o património cultural é entendido e consumido pela população em geral.

O projecto (a)Riscar o Património teve início em 2014, com a parceria dos Urban  Sketchers Portugal, e surgiu justamente como uma forma de colmatar essa lacuna, atraindo uma participação abrangente em termos de faixas etárias, profissões ou nacionalidades. Consiste em reunir no mesmo dia, mas em sítios diferentes, sketchers, ilustradores, artistas ou simples amantes do desenho, segundo tema sempre enquadrado nas comemorações das Jornadas Europeias do Património (JEP).
O entendimento do desenho enquanto meio de expressão ancestral, privilegiado, versátil e intemporal, permitindo um olhar mais atento e a descoberta de pormenores que a fotografia nem sempre revela, abre caminho para outras associações: reunir a representação do património ao desenho – na sua vertente mais imediata e espontânea, enquanto registo do olhar, memória fugaz de um tempo e de um sítio, figuração instantânea duma realidade e dum momento – parecia, assim, quase uma evidência. Através do desenho – ou, concretamente, do sketching – é possível uma outra representação do património e uma leitura mais descontraída, longe da carga de monumentalidade e “peso” que a própria património palavra acarreta.

A organização do (a)Riscar o Património pretende aproveitar a relação privilegiada entre património e desenho, sensibilizar cada vez mais a comunidade para a importância e a diversidade das realidades que nos envolvem, construir um banco de desenhos de registo sobre o nosso Património e promover paralelamente outras actividades como encontros, debates e publicações. O objectivo é chegar a todos os distritos do país, possibilitando uma participação cada vez mais alargada e um conhecimento sempre mais atento do património e do território que nos rodeia.”

in Anuário do Património 3 – 2016/2018

Anúncios